Uma visão geral não muito técnica desse tal de Bitcoin 🇵🇹

Uma visão geral do protocolo bitcoin para iniciantes

English 🇬🇧 Espanol 🇪🇸 Française 🇫🇷 Italiano 🇮🇹 Romanian 🇷🇴 Swedish 🇸🇪 German 🇩🇪 Armenian 🇦🇲 Catalan 🛠 Chinese 🇨🇳 Taiwan 🇹🇼

Este artigo foi copiado da fonte original do Bitcoin Reserve Journal 

Introdução

Quando fui exposto pela primeira vez ao Bitcoin, para mim era apenas um número em uma tela que eu podia negociar. Compre na baixa, venda na alta, ganhe dinheiro. Mas é muito mais do que isso. Eu estava tratando um presente milagroso para a humanidade, aparentemente com desprezo. Ele merece muito mais respeito.

Durante o bear market* de 2018, quando a empolgação com os lucros desapareceu e depois que a dor após a correção do mercado passou, decidi segurar, ou “HODL” como diz o meme. Eu sabia que teria que ser paciente. Eu tinha tempo em minhas mãos. Então decidi aprender mais sobre o que era Bitcoin. Sorte que eu o fiz! Fiquei surpreso. Desde então, tenho aprendido continuamente e, à medida que aprendia, tudo fazia sentido e minha convicção aumentava, assim como o meu investimento.

Bear Market(mercado urso) – Mercado com tendência de queda

Eu me perguntei: “Eu estava seguindo cegamente por um caminho sem questionar?” A devida diligência exigiu que eu procurasse muito por pontos fracos no Bitcoin. Após 18 meses de busca, quase diariamente, não encontrei uma objeção satisfatória para não acumular agressivamente.

Nesta série, explicarei primeiro o que é Bitcoin e como funciona. Em capítulos subsequentes, irei abordar as objeções e os riscos que eu e outros apresentamos. Apresentarei as respostas que encontrei para todos eles, e diferentes visões a respeito.

Entender o Bitcoin é difícil, até o momento em que tudo faz sentido 

Não é fácil entender o Bitcoin no início. Acho que é melhor explicar para um novato O QUE é Bitcoin, e não COMO. O que ele pode fazer, os problemas que ele resolve e por que isso é importante. Não devemos mergulhar em COMO isso funciona muito cedo. Não há necessidade disso. Não contribui para a compreensão e apreciação do motivo pelo qual o Bitcoin é um presente incrível para a humanidade.

Bitcoin não é fácil de explicar. Não existe um único parágrafo que possa transmitir todas as suas propriedades fundamentais. Cada breve explicação é enganosa de alguma forma.

Isso ocorre em parte porque nada como o Bitcoin jamais existiu, então não há nada para as pessoas compararem. As comparações são feitas automaticamente para ajudar a entender os conceitos, mas são imprecisas e levam a conclusões erradas. O Bitcoin desafia muitas ideias preconcebidas sobre dinheiro (que estão erradas) e são tidas como certas. Isso desafia certas visões de mundo, o que é desconfortável.

Outra razão pela qual é difícil de explicar o Bitcoin é porque ele tem muitas partes diferentes e complicadas, cada uma com funções diferentes – e somente pela compreensão de cada parte o todo pode ser compreendido. Essas partes complicadas são mais fáceis de entender se alguém tiver um conhecimento básico de vários campos, como Ciência da Computação, Criptografia, Economia Austríaca, História do Dinheiro, Redes Sociais, Teoria dos Jogos, Psicologia Humana e Evolução / Seleção Natural.

Um número escasso

Bitcoin é apenas um número digital. Mas um número escasso. Como pode ser? Um número escasso não faz sentido à primeira vista. Existem 21 milhões “deles”. Cada um pode ser dividido em pedaços minúsculos, até 8 casas decimais. Você pode possuir uma quantia de apenas 0,00000001 bitcoin. Eles não são realmente “moedas”, são apenas números especiais.

Pedaços dele podem ser movidos de um lugar para outro, mas essas peças não podem existir em dois lugares ao mesmo tempo. Eles não podem ser copiados. Isso é muito especial.

Se eu tenho 0,5 bitcoin e decido enviá-lo para outra pessoa, não tenho mais essa fração de bitcoin. Isso é diferente de um e-mail, de modo que, se eu enviar, posso ficar com uma cópia. Talvez possa ajudar (no início) pensar em uma quantidade de bitcoin como um e-mail identificável de forma única contendo um número, que só pode existir em um lugar de cada vez.‌

Nenhum item digital jamais teve essa propriedade. Observe também que, sem essa propriedade, o dinheiro digital sem um coordenador central não é possível.‌‌

The Blockchain*

Cadeia de Blocos no português – Tecnologia por trás do Bitcoin.

 Vamos aumentar a complexidade um pouco. Bitcoin não é apenas o número, mas também o “livro” digital, ou livro-razão*, onde é registrado. Os números (as unidades) são ‘‘b’’ minúsculos, o livro é ‘‘b’’ maiúsculo. O livro-razão também registra o endereço ao qual o bitcoin está associado. Por enquanto, pense nesses endereços como números de contas bancárias que “contêm” bitcoins.

Em contabilidade livro-razão é onde os registros são agrupados.

A Blockchain do bitcoin, ou o “livro”, ou o “livro-razão”, contém o saldo de todos os endereços (contas) e todos os movimentos do bitcoin (as transações) desde o início da criação do Bitcoin. Faça uma pausa e absorva isso por um momento – todas as transações de todas as contas, sempre. Um sistema monetário totalmente transparente. Não uma conta bancária transparente, mas um sistema monetário transparente.

Nota: os endereços não têm identificação pessoal associada a eles no livro-razão, mas a propriedade pode ser inferida a partir da vigilância. Por isso, a privacidade não é o padrão, mas pode ser alcançada com boas práticas. Se o Bitcoin fosse completamente privado, a auditoria da integridade do sistema monetário como um todo não seria possível.

O Blockchain é como o livro-razão de um banco, mas ainda melhor. É um livro-razão de todo o sistema monetário

A cada 10 minutos, em média, uma nova “página” de transações é adicionada ao livro-razão, chamada de “bloco”. Pense em um livro-razão físico, onde as transações são limitadas a uma página a cada 10 minutos. Há um limite para a frequência com que as páginas serão viradas para adicionar novas transações, e o livro está crescendo continuamente.

Como os dados são adicionados em blocos e cada bloco é conectado ao bloco anterior (como será explicado posteriormente), o livro-razão é chamado de “Blockchain (cadeia de blocos)” – uma cadeia de blocos sempre crescentes.

Cada porção do bitcoin pode ser rastreada até a sua criação original, examinando o histórico de cada transação em que esteve envolvido. Tudo é contabilizado. Tudo se encaixa perfeitamente. O sonho de um contador.

O objetivo da Blockchain não é apenas colocar novos dados na ordem cronológica correta – é fazer com que os blocos sejam conectados digitalmente, de modo que qualquer alteração nos blocos anteriores invalide os blocos futuros. Isso torna a história do sistema monetário evidente. Discutido posteriormente, a mineração torna o sistema à prova de violação. ‌‌

Criando bitcoins 

O Bitcoin começou em 3 de janeiro de 2009, por uma pessoa ou grupo de pessoas, pseudonimamente chamado de Satoshi Nakamoto. Ninguém sabe quem “ele” é e “ele” desapareceu logo após a criação do Bitcoin.

Na primeira página do livro-razão, o primeiro bloco, quando o Bitcoin começou, apenas 50 bitcoins foram criados. O que isso significa? Significa que a primeira entrada no primeiro bloco continha uma transação de 50 bitcoins – Assim como você pode abrir um novo livro e escrever: “Eu tenho $ 50 dólares”.

Não se preocupe muito agora com o fato de que eles foram criados aparentemente do nada – essa objeção natural inicial será aliviada posteriormente na série.

Para cada nova página adicionada ao “livro” do Bitcoin, mais 50 “moedas” foram adicionadas. Em cada uma das “páginas”, além das moedas recém-criadas, também existe a movimentação de bitcoin de uma pessoa para outra – as chamadas “transações”.

A cada 210.000 páginas, ou “blocos”, a taxa de criação de bitcoin diminui pela metade assim no bloco 210.001, 25 bitcoin fossem criados em vez de 50. Então, no bloco 420.001, 12,5 bitcoin estavam sendo criados em vez de 25. Então, no bloco 630.001, 12 de maio de 2020, 6,25 bitcoin estavam sendo criados em vez de 12,5. Esses eventos são chamados de Bitcoin “Halvings” (ou “Halvenings” – há um debate em andamento sobre essa terminologia).

Aproximadamente no ano de 2140, conforme cada vez menos bitcoin são criados por bloco, chegará o dia em que a menor unidade possível (0,00000001 bitcoin, chamada de 1 Satoshi) será criada por bloco e não poderá mais ser reduzida à metade. Isso resultará em um limite de 21 milhões de bitcoins criados, e nenhum mais será criado. Atualmente, existem cerca de 18,5 milhões de bitcoins.

Nós: o Blockchain é copiado, mas o Bitcoin não

É importante ressaltar que embora as unidades de bitcoin não possam ser copiadas dentro do livro-razão, o próprio livro-razão, Bitcoin com “B” maiúsculo, pode ser copiado, e é copiado, o tempo todo, e isso é crucial para ser resistente a ataques ou desligamento.

Cópias do livro-razão ficam em milhares de computadores em todo o mundo, e todos eles estão conectados em uma rede e sincronizados uns com os outros. Esses computadores são chamados de “nodes”.

Este é meu node de Bitcoin pessoal, semelhante a milhares de outros ao redor do mundo. É um Raspberry Pi (computador muito barato e de baixa potência), conectado a um disco rígido externo. O dispositivo está conectado à Internet por meio da minha rede doméstica.

Qualquer um pode participar desta rede de “nodes”. Basta baixar o software, chamado de Bitcoin Core, do bitcoin.org, e conectá-lo a outros computadores pela internet que também rodam o Bitcoin Core (a comunicação acontece automaticamente).

Esse programa recém-baixado então se comunica com outros computadores que executam o mesmo software, para copiar a Blockchain do Bitcoin. Ele mantém essas conexões para participar como parte da rede.

Uma vez que um novo node está em sincronia com os outros, ele espera (como todos os outros nodes) que novos blocos sejam criados (pelos mineradores). Eles são propagados pela rede e todos os computadores se atualizam. Um node pode desligar-se por qualquer motivo e voltar a se juntar à rede a qualquer momento. Ele só precisa recuperar o atraso adicionando os novos blocos que perdeu.

O passado da Blockchain não pode ser alterado, é um registro permanente de todas as transações e é distribuído em todo o mundo. Não pode ser erradicado. Para desligar o Bitcoin, cada um desses nós precisa ser encontrado e destruído. Como isso é virtualmente impossível, o Bitcoin é virtualmente impossível de parar.

Revisão

Para resumir brevemente até agora, a Blockchain do Bitcoin contém uma cadeia de blocos conectados, cada um com bitcoin recém-criado (do “nada”) e qualquer movimento de propriedade de bitcoin (transações). Novos blocos são adicionados a cada 10 minutos em média, e milhares de computadores mantêm uma cópia idêntica e atualizada de toda a cadeia.‌‌

Armazenando o Bitcoin: Chaves Privadas

É interessante saber que você nunca pode realmente “possuir” algum bitcoin, de acordo com o entendimento geral da palavra “possuir”. As quantidades de bitcoin são apenas números nas muitas cópias idênticas do Blockchain (que todos podem ver), associadas a uma string (letras e números) chamada de “endereço” de Bitcoin.

O que você tem é a chave. Uma chave é como uma “senha” secreta – na verdade, é um número binário (zeros e uns) extremamente grande gerado aleatoriamente, ao qual apenas você tem acesso. Você pode saber um número, mas não pode tê-lo. Então, você conhece uma chave, não possui a chave. Mas é simples e geralmente aceito dizer “ter”.

Como o número é grande e aleatório, duas pessoas nunca gerarão a mesma chave.

Um exemplo de chave privada Bitcoin (podem ter o dobro do comprimento):

Observe que existem 12 grupos de números binários de 11 dígitos

Este número é difícil de escrever para um ser humano. Então, foi desenvolvido um sistema, um protocolo, no qual palavras podem ser usadas para representar esse número. Abaixo está o conjunto de palavras que é igual ao número acima:

12 palavras: cada palavra representa um número binário de 11 dígitos definido pelo protocolo

A chave privada é usada para criar um conjunto único (exclusivo para aquela chave) de endereços bitcoin aparentemente infinitos usando uma fórmula matemática predefinida. Abaixo estão os primeiros vários endereços para a chave acima:

‌Se na Blockchain do Bitcoin, houver um endereço anotado com algum bitcoin associado a ele, e se você for o “proprietário” da chave privada que fez esse endereço Bitcoin, então você tem o poder de remover esse bitcoin desse endereço e enviá-lo para qualquer outro endereço bitcoin de sua preferência.

Se você movê-lo para um endereço associado à chave privada de outra pessoa, essa pessoa controla para onde esse bitcoin pode ir em seguida. Você efetivamente pagou essa outra pessoa. O saldo em seu endereço de Bitcoin diminuiu, e o saldo no endereço dele aumentou de acordo com o valor do pagamento.

Outra maneira de pensar nisso é que a Blockchain do Bitcoin é uma parede pública de escrita que todos podem ver. Você tem permissão para fazer modificações na parede se puder provar que é o titular da chave.

Essa prova vem de usar a chave privada para assinar uma transação. Isso é baseado em criptografia – você não precisa entender mais do que isso para usar Bitcoin. Acontece em segundo plano e sua carteira cuida disso. Carteiras a seguir …

Armazenando o Bitcoin: Carteiras

Uma carteira é um software privado que armazena sua chave digital privada. A carteira não faz parte da Blockchain do Bitcoin, mas ela se comunica com ele.

A carteira, na verdade, não contém bitcoins. Ele pergunta à Rede Bitcoin, “quanto bitcoin está em meus endereços?

Lembre-se de que é a chave privada que matematicamente torna os endereços ilimitados e controla a “capacidade de gasto” do bitcoin associado a esses endereços. Todos os endereços são exclusivos da chave. Como a carteira conhece a chave privada, ela pode descobrir os endereços. Você pode ter muitas cópias de uma carteira em vários dispositivos, cada um com a mesma chave privada e, portanto, cada um mostrará os mesmos endereços de bitcoin.

Uma carteira de Bitcoin:

Se uma chave for perdida, o bitcoin que ela controla nunca poderá ser gasto por ninguém. O bitcoin ainda existe na Blockchain, mas não pode ser gasta (movido para outro endereço) e é efetivamente “perdida” ou “não pode ser gasta”.

A palavra “carteira” pode confundir os recém-chegados porque é usada de duas maneiras: O primeiro uso descreve o software que guarda as suas chaves. A segunda descreve todos os endereços feitos por uma chave privada.

Software (chamado de carteira) -> contém a chave privada -> coleção de endereços (chamada de carteira)

Um software de carteira de bitcoin pode ter qualquer chave privada, e pode possuir várias delas.

Um exemplo de carteira recém-criada:

‌‌Transações

Uma transação de Bitcoin pode ser considerada um pequeno pacote de dados que indica uma quantidade de bitcoin a ser movida, um endereço de origem, um endereço de destino e uma assinatura. Mais ou menos como um cheque bancário (valor, remetente, destinatário, assinatura).

A transação é produzida pela carteira de software do remetente, é assinada pela chave privada contida na carteira e, em seguida, a carteira envia os dados da transação para um node Bitcoin. Mais ou menos como uma pessoa que passa um cheque, sem entregá-lo ao destinatário, mas depositando-o diretamente na conta bancária do destinatário.

Esse node então verifica se a transação é válida (ou seja, não enganando as regras do Bitcoin), o que inclui verificar se a assinatura feita pela chave privada é genuína. Semelhante a um banqueiro que verifica se a pessoa que passa o cheque tem fundos na conta de origem e se a assinatura do cheque é real.

O node aceita a transação se ela for válida e só então a repassa para outros nodes. Observe que uma chave privada é usada para assinar uma transação, e é a assinatura, não a chave privada, que é passada para os nodes  e para o Blockchain público.

Cada node que aceita a nova transação, adiciona-a a uma lista de espera chamada “mempool”. Cada node mantém sua própria cópia da lista de espera.

As transações ficam no mempool, esperando que os mineradores de Bitcoin as levem e as adicionem ao próximo bloco de Bitcoin. (Mineração a seguir). Um minerador finaliza o bloco e o envia para um node, e depois de verificar se ele é válido, o node o repassa para todos os outros nós que também verificam se ele é válido. O bloco e as novas transações contidas nele se tornam parte da Blockchain.

Se uma carteira tiver um endereço que espera um pagamento, ela verifica se a transação relevante foi adicionada ao Blockchain. Os novos dados no Bloockchain são usados para atualizar o saldo refletido na carteira.

Um exemplo ajudará a ilustrar isso. Imagine que Alice está pagando a Bob 1.0 bitcoin. Vou ignorar quaisquer taxas de transação para simplificar. No lado esquerdo da imagem abaixo, a carteira de Alice tem um endereço (o terceiro endereço) com 1.0 bitcoin. Ela faz um pagamento exatamente desse valor para o terceiro endereço de Bitcoin de Bob, que tem 5,15 bitcoin associado a ele. Bob disse a Alice qual era seu terceiro endereço (ou seja, forneceu um invoice*), e a carteira de Alice fez uma transação que descreve os endereços de origem e destino e o valor a ser transferido.

* invoice – Seria um endereço com um pedido de pagamento.

Ela então publicou a transação na Rede Bitcoin (enviou a transação para o mempool de um node, um minerador incluiu a transação no bloco, o bloco foi enviado de volta para um node, o novo bloco foi distribuído para todos os nodes). Ambas as carteiras se atualizam com base nos dados da Blockchain (solicitando os novos dados a um node através da Internet).

No lado direito do diagrama está o status das duas carteiras após a finalização da transação. O terceiro endereço de Alice em sua carteira não tem nenhum bitcoin . O endereço de recebimento de Bob agora tem 6,15 bitcoins em vez de 5,15 bitcoins. Bob foi pago.

Mineração

Você não precisa entender o funcionamento interno da mineração para entender como o Bitcoin funciona. Você não deve sequer pensar em tentar minerar bitcoins como um indivíduo. Não é lucrativo. A mineração só é lucrativa para grandes negócios com acesso à eletricidade extremamente barata (abaixo do preço de varejo). Abaixo está a imagem de uma pequena “fazenda” de mineração:

Apenas um conhecimento básico de mineração é necessário para entender como o Bitcoin funciona – da mesma forma que um acumulador de ouro não precisa saber como o ouro é extraído

A mineração é feita bloco a bloco, e os mineradores estão competindo para extrair o próximo bloco. Envolve poder computacional para pesquisar um número especial, por meio de várias tentativas e erros. Não há nenhum “cálculo” envolvido per se, embora seja comumente descrito dessa forma. É força bruta que custa eletricidade.

Quando o número é encontrado para o próximo bloco, o minerador é recompensado com os bitcoins dentro desse bloco. Além de incluir as transações de outras pessoas, cada minerador faz uma transação que efetivamente diz “Meu endereço tem 6,25 bitcoins recém-criados”. Todas as outras transações no bloco são movimentações(transações) de bitcoin, e não criação de bitcoin.

Essa recompensa é como os bitcoins são criados regularmente a cada bloco. Como o minerador encontrou o número especial, ele/ela prova que o trabalho do computador foi feito, de forma que quando o bloco for passado para os nós, todos aceitarão esta criação de bitcoin como válida. Quem fizer isso primeiro (por bloco), ganha. Vir em segundo lugar é inútil. Assim que houver um vencedor, todos os mineradores começam a trabalhar para vencer o próximo bloco.

Qualquer um que tentar trapacear fracassará, porque não terá o número certo. O número é muito difícil de encontrar, mas é fácil e rápido para os nós verificarem se ele é válido

Este trabalho do computador NÃO é energia desperdiçada. É um mecanismo de defesa. Os mineradores gastam essa energia em busca de uma recompensa em bitcoin. Qualquer invasor, alguém que deseja adulterar o Blockchain, deve competir gastando mais energia do que o poder de mineração do mundo inteiro combinado e, potencialmente, NÃO será recompensado se falhar. Quanto mais energia gasta pelos mineradores, mais difícil é atacar o Bitcoin.

Todo o poder computacional da mineração em todo o mundo COMBINADO, está protegendo a integridade de todo o sistema Bitcoin. Ele protege o Blockchain, para que ninguém possa fazer edições contra as regras do Bitcoin ou roubar fundos.

Além dessa segurança, existe a segurança pessoal. Quando você controla bitcoin com uma chave privada, seu “controle” é protegido por você ao manter sua chave segura e secreta. Se alguém tiver sua chave privada, pode roubar seus fundos sem quebrar as regras do Bitcoin.

Por que o Bitcoin pode ser dinheiro?

Bitcoin pode ser dinheiro porque tem todas as características desejáveis de um bom dinheiro. É divisível, portátil, durável, reconhecível, transferível (meio de troca), mede o valor (unidade de conta) e é facilmente verificável. Crucialmente, não depende da honestidade dos humanos ou da coordenação central, e não pode ser diluído, ou seja, não se pode criar mais bitcoin ao bel-prazer.

Um contra-argumento (a ser explorado em um artigo futuro) é que o dinheiro precisa de “valor intrínseco” – Na verdade, nada tem valor intrínseco. O argumento seria melhor formulado: “Ele precisa ter valor por algo que não seja dinheiro.” – Isto também não é verdade. O dinheiro não precisa de nenhum valor alternativo. É uma linguagem. A linguagem do valor:

Compare com o idioma inglês: O objetivo do inglês é “armazenar” e comunicar SIGNIFICADO. O inglês não tem “significado intrínseco”. As próprias palavras são apenas símbolos abstratos ou ruídos. As pessoas não falam inglês porque acreditam que há algo intrínseco a ele. Eles fazem isso porque as pessoas com as quais se comunicam também falam a mesma língua. A rede de pessoas que falam a língua começou pequena e cresceu.

Para dinheiro de livre mercado (não dinheiro imposto pelo governo), as pessoas falam a linguagem do valor com outros humanos que aceitam essa linguagem. Da mesma forma que o inglês não precisa de valor intrínseco para ser aceito como idioma, o dinheiro não precisa de valor intrínseco para ser aceito como idioma.

Qualquer valor alternativo pelo dinheiro é útil apenas para os estágios iniciais de adoção do idioma. Uma vez adotado, o valor alternativo torna-se irrelevante – poderia até desaparecer e não seria importante. Foi assim que o ouro cresceu como a linguagem do dinheiro. Sua utilidade para outros fins é boa, mas irrelevante. Foram suas propriedades monetárias superiores e escassez relativa que aumentaram seu domínio como moeda de livre mercado, não seus usos alternativos ou valor alternativo.

Agora, pela primeira vez, existe algo muito melhor do que ouro. Só é preciso tempo para as pessoas aprenderem o idioma.

Um candidato a dinheiro não precisa apenas das propriedades certas, mas também de aceitação social e, em um livre mercado, precisa começar como o melhor. Uma vez que está na liderança para aceitação, não precisa mais ser o melhor. Pode ser bom o suficiente como dinheiro, e qualquer novo concorrente que seja apenas um pouco melhor não pode alcançá-lo.

Para ilustrar com o exemplo de idioma, se houvesse um novo idioma como o inglês, mas com um som um pouco mais bonito, podemos dizer que é um pouco melhor, mas o inglês não será ultrapassado. O inglês permanecerá dominante porque já é dominante. Esta é uma propriedade das redes.

Por outro lado, o motivo pelo qual o Bitcoin ultrapassará o ouro não é porque ele é ligeiramente melhor – mas porque é muito melhor. É provável que supere o dinheiro do livre mercado dominante porque corrige as maiores fraquezas do ouro.

Fraquezas do ouro:

  • Não é facilmente divisível para pequenos pagamentos
  • Não é facilmente portátil (tente levar vários quilos para o exterior)
  • Não é digital
  • A liquidação final é muito lenta e cara (entrega física).
  • É caro armazenar com segurança
  • É centralizado
  • Foi confiscado por governos (Ordem 6102)

Para superar muitas limitações, foram criadas moedas lastreadas em ouro. Isso permitiu as pessoas que trocassem valores entre si de forma mais portátil, com pequenos valores e, posteriormente, digitalmente, mas introduziu novas limitações – a utilização de Terceiros de Confiança (Trusted-Third-Party). O Bitcoin supera as falhas do ouro, sem um terceiro confiável. Isso é realmente incrível.

Em 1971 o presidente Nixon determinou que o dólar não seria mais lastreado em ouro, desde então o dólar tornou-se dinheiro, e não uma moeda. Dinheiro fraco, e não dinheiro forte, ou seja, o dolár não é mais sound money*.

*uma moeda baseada ou resgatável em ouro

Agora temos várias moedas de papel governamentais lastreadas por nada – assim podemos concluir que o ouro falhou. Se o mundo algum dia retornar ao padrão ouro (impossível), exatamente a mesma coisa pode acontecer novamente mais tarde. Precisamos de uma solução melhor, e ela existe. Mas é improvável que os governos adotem voluntariamente o Bitcoin (embora seja possível). Em vez disso, um famoso economista austríaco uma vez disse, e essa frase se tornou conhecida nas rodas de Bitcoin:

“Não acredito que algum dia teremos um bom dinheiro novamente antes de tirar essa coisa das mãos do governo, ou seja, não podemos tirá-la violentamente das mãos do governo, tudo o que podemos fazer é por algum caminho indireto astuto introduzir algo que eles não podem parar.” – Friedrich Hayek em 1984

Embora seja muito melhor do que o ouro, o Bitcoin não será realmente dinheiro até que seja aceito pela maioria das pessoas como dinheiro. Isso leva tempo acontecer. A maioria das pessoas não precisa POSSUIR algum bitcoin para que ele seja dinheiro, mas quase todo mundo precisa QUERER. Esse é o obstáculo final para o Bitcoin.‌‌

Porque o Bitcoin é importante?

Bitcoin é importante porque não temos dinheiro vindo do livre mercado. Nosso dinheiro é criado e controlado por governos e bancos centrais, e esse controle permite que eles extraiam tempo humano (economias) de nós contra nossa vontade – por meio da criação de dinheiro. Este é um desastre humanitário e, para descobrir mais sobre essa injustiça ao longo da história da humanidade, encorajo você a ler o artigo incrivelmente bem escrito de Robert Breedlove, “Masters and Slaves of Money”.

Existem muitas outras razões pelas quais o Bitcoin é importante, mas esta é de longe a mais importante. Existem aqueles que podem imaginar (Incluindo eu) que um mundo com dinheiro de livre mercado e bancos centrais erradicados será um mundo de paz e prosperidade. Esse é o sonho.


Dinheiro do livre mercado vs escambo

Em um livre mercado, eventualmente haverá apenas um dinheiro. Se houver vários dinheiros, isso só aumentará a fricção e avançará para a troca. O dinheiro resolve o problema do escambo. Se o dinheiro do livre mercado funcionar, a troca acabará desaparecendo. Observe que a maioria dos países tem dinheiro do governo, que é exigido por lei, para uso em câmbio, redação de contratos e pagamento de impostos. Não é dinheiro de livre mercado, e é por isso que muitos podem existir, e também porque as transações estrangeiras são necessárias para o comércio internacional.

Ao armazenar sua riqueza, um indivíduo tem um incentivo para armazená-la no dinheiro que é mais aceito – não o segundo mais aceito. Essa pressão eventualmente resulta em que o dinheiro principal absorva todas as reservas inferiores de riqueza. Mas isso leva tempo.

Resumo

Espero que isso possa tê-lo ajudado a entender o que o Bitcoin realmente é, e por que ele não é apenas um token sem valor “apoiado por nada” que os governos podem impedir facilmente. Esta é uma primeira impressão natural, mas ao arranhar a superfície, você perceberá que é algo de tirar o fôlego. Em artigos futuros, escreverei sobre as objeções típicas das pessoas (há muitas) e minhas respostas a elas. Também vou escrever sobre as preocupações que surgem depois de entender o Bitcoin por um tempo – eles também têm contra-argumentos excelentes.

Este artigo foi projetado para “não ser muito técnico”. Quando você estiver pronto para a próxima etapa do entendimento técnico, recomendo fortemente esta excelente palestra de Andreas Antonopoulos. Não há nada igual.

Para uma compreensão mais profunda do Bitcoin em geral, consulte o guia que criei e vários outros artigos educacionais em meu blog.

Também estou à disposição para esclarecer dúvidas e posso ser contatado pelo Twitter – @parm­an_the‌‌‌‌

%d bloggers like this: